Le Mousse


Temporada de moda masculina – por Herbie by Kaká Marinho
9 de julho de 2009, 8:13 pm
Filed under: Verão 2010

Gemte, esse post é de colaboração de Herbie, do Estudio Alba, que acabou nos presenteando com sua visão sobre a temporada de moda masculina 🙂 Abaixo:

paul_smith

Paul Smith

Terminou na semana passada a seqüência de semanas de moda masculina internacionais. Aquela idéia de silhueta afiada e seca, bem Hedi Slimane, não pensou em nem dar as caras. A imagem de um passado não-tão-distante se diluiu e o momento é outro. A imagem que foi, foi. Não é mais.

missoni

Missoni / Moschino

A rigidez e agressividade perdem espaço para as imagens de homens simples e descontraídos mesmo. A sacada mais legal pra colocar toda essa idéia pra funcionar foi descomplicar e desconstruir a vestimenta formal masculina, e transformá-la em algo relaxado e casual – o que não quer dizer em nada que o look se torna esportivo. Nada a ver. Tudo parece ser muito inteligente e sóbrio, já que estrutura de cores e comprimentos são muito sutis.

hugo_boss

Hugo Boss / Calvin Klein

Com essa despreocupação, a silhueta aparece mais folgada, com peças bem amplas e um pouco mais curtas. Daí que aparece a bermuda (ou shorts mesmo) no meio da história, peça-chave para o guarda-roupa do verão masculino que aparece diversas vezes associada ao blazer e sapato social – e meia – às vezes colorida. Mas isso daí fica para os que acreditam mais.

dior_homme

Dior Homme / Louis Vuitton

Neste enredo, as calças foram as que sofreram mudanças mais drásticas – e divertidas também. Elas aparecem agora mais largas e com o fundo baixo – sarouel até.

bottega_veneta

Bottega Veneta

Além disso, o comprimento dela passa a ser bem mais curto, dobradas até acima do tornozelo, bem-humorada. Agora, o que chama atenção é o uso dos tecidos mais brilhantes apareceram – inclusive na temporada brasileira. Alguém aí acredita? Nem eu.

A cartela de cores reforça a idéia de simplicidade e conforto, podendo ser extremamente limpa, com os brancos, cinzas e cores clarinhas ou variar em tons natural-terrosos e do nude, além dos azuis – marinho, petróleo – de sempre. Curioso foi perceber a repetição bonita da combinação entre o vermelho e o roxo, ambos meio desaturados, com cara de empoeirados em diversas coleções.

Em vários desfiles os looks foram construídos a partir de variações de uma mesma cor, tons sobrepostos ou de composições de mesma cor, sem quebra mesmo. Além dessa reflexão sobre o uso das cores a sobreposição de comprimentos diferentes, que somados resultam numa imagem bastante inteligente.

Em todos os desfiles as sandálias de tiras estiveram presentes e me irritaram profundamente. Gente, muito feio, né? Outro detalhe, só que desta vez legal, é que a gravata, ícone máximo da rigidez na moda masculina, desaparece – quase – completamente do repertório de imagens dos desfiles, fazendo com que mesmo nas imagens mais formais, as camisas sejam utilizadas sem elas.

E a vida real agradece.

Anúncios

4 Comentários so far
Deixe um comentário

Legal esse post. Mas, pessoalmente, essa coisa de desestruturar as roupas não me apetece. Acho que acaba deformando o corpo do homem, não valoriza as formas, os músculos, a estrutura corporal mesmo, entende?

Comentário por Marquinhos

Muito bom o post, gostei bastante.Das coleções apresentadas, a que mais me agradou foi a da Givenchy, achei ousada, criativa e destemida. E o engraçado que meus maiores desejos na coleção do Ricardo, foram as sandalias.Tambem gosto pelo fato de, por seculos o guarda roupa masculino ter “emprestado” suas peças ao feminino e está mais do que na hora de acontecer o contrario, peças mais “femininas” virem pro nosso, em alguns casos até devolvendo peças, como é o caso das proprias sandalias, que no inicio eram usadas pelos homens na Grecia e em Roma, por exemplo. Muitos estilistas já estam tentando isso faz tempo, como as man bags e as meia calças do Marc,lá fora já ta pegando e sinto um cheiro disso já no Brasil, espero realmente, que tabus sejam quebrados e que a moda masculina, volte a ser estimulante, o que pelo menos pra mim, nao vem sendo.

Comentário por Hugo Arantes

Na minha opinião, roupas de marcas elegantes como Dior, Prada e Armani, por exemplo, vestidas em “homens modelos” ficam muito fashion ou “conceito” (talvez seja esse o objetivo). Um cara tradicional como eu, não se encanta quando vejo um desfile. Prefiro elas penduradas e a minha disposição nas Lojas. De qualquer forma, gosto das cores e da idéia da simplicidade com conforto, mostrada neste post.

Parabéns Kaká .. seu blog é um Sucesso !

Comentário por João Kepler

Ola
Parabéns pelo blog!
Abcs
Alexandre Taleb
Consultor de Imagem/Personal Stylist
Blog: http://ataleb.wordpress.com/

Comentário por alexandre taleb




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: